São Paulo:
(11) 3876-8500
Dedetizadora São Paulo

São Paulo: (11) 3876-8500  |

Uniprag em outros estados: 0800 704 1528

Redes Sociais:
  

São Paulo:

Central de Atendimento:

Baratas - Dedetização e Controle de Baratas

MORCEGOS

Baratas - Dedetização e Controle de Barata

Saiba porque morcegos podem ser considerados pragas urbanas

Os morcegos são mamíferos que ficaram conhecidos nas telas de cinema através de personagens de ficção como os vampiros. Porém, apenas uma pequena parcela deles realmente se alimenta de sangue, a maioria se nutre através de frutas, insetos e seivas de plantas.

O termo “morcego” significa rato cego, mas eles não são totalmente cegos, ao contrário do que muitos pensam, Na verdade, a maioria deles enxerga em preto e branco e, como caçam à noite, desenvolveram uma espécie de sonar, que permite sua locomoção com facilidade no escuro (chama-se ecolocalização). O fóssil do morcego mais velho encontrado possui cerca de 50 milhões de anos. São animais bem antigos na Terra.

No Brasil, há cerca de 138 espécies de morcegos, espalhadas por todo o país. O morcego é o único mamífero capaz de voar. Os animais ficam de cabeça para baixo para facilitar o seu vôo, além disso, nessa posição eles possuem mais equilíbrio.

Os morcegos podem ser considerados pragas quando habitam perímetros urbanos, pois transmitem doenças para os seres humanos, como a raiva. Além disso, fungos que causam problemas respiratórios podem desenvolver-se em seus excrementos.

Não se deve exterminá-los sem controle, pois além de ser crime ambiental, causaria um desequilíbrio no ecossistema. Morcegos são predadores naturais de outros animais e ajudam na dispersão de sementes, contribuindo para o reflorestamento. Algumas doenças que podem ser transmitidas pelos morcegos são: raiva, histoplasmose, salmonelose e parasitoses em geral. É importante que, após a detecção do animal, não se tenha contato direto com ele, para evitar problemas de saúde e acidentes de ataque.

É importante efetuar o manejo de morcegos com empresa especializada para que seja realizado o procedimento correto de manejo dos animais.

Biologia dos Morcegos

AS FAMÍLIAS DE MORCEGOS
MAIS COMUNS NO BRASIL SÃO:

1) Família Phyllostomidae

É a maior família dos morcegos neotropicais, contendo 92 espécies catalogadas no Brasil. Possui a maior diversidade em relação a abrigos e hábitos alimentares. Os morcegos desta família possuem uma estrutura membranosa na extremidade do focinho, que é chamada de folha nasal.

São um dos principais agentes de polinização e reflorestamento. A família de morcegos alimenta-se de flores, insetos, folhas, frutos, alguns animais e sangue. Confira abaixo as principais espécies:

1.1) Artibeus lituratus

A forma de identificar este animal é reconhecendo as suas 4 listras na face. Ele se alimenta de frutos, pólen, néctar, flores, folhas e insetos. Suas asas podem alcançar até 50 cm de envergadura, assustando ainda mais seus observadores. Dão voos rasantes e andam em pequenos grupos. Abrigam-se nas árvores.

1.2) Platyrrhinus lineatus

Possui comportamento similar ao da espécie Artibeus lituratus. Possui cerca de 30 cm e dá vôos rasantes sobre o seu alimento. Além das 4 listras na face, possui outra ao longo do dorso.

1.3) Glossophaga soricina

A espécie deste morcego possui pequeno porte, cerca de 18 cm, possui focinho alongado e língua comprida. Nutre-se de flores, frutos e insetos. Ele é encontrado perto de varandas que possuem bebedouro de beija-flor. Por esse hábito, ele acaba acidentalmente entrando em residências.

1.4) Desmodus rotundus

Essa espécie é conhecida como morcego vampiro comum. Possui cerca de 35 cm, considerado um porte médio. É a única que se alimenta de sangue de mamíferos. Pode ser encontrada em matas, cavernas, bueiros e casas abandonadas.

Atendimento Rápido!

ou pela Central de Atendimento: 0800 704 1528

ou pela Central de Atendimento: 0800 704 1528

2) Família Molossidae

Os morcegos da família se caracterizam por ter uma cauda espessa e livre. Alimentam-se exclusivamente de insetos e possuem 29 espécies catalogadas. As asas são longas e estreitas, o que permite voo rápido e manobrável.

2.1) Molossus molossus

Possui cor negra e 22 cm de envergadura, sendo considerado um morcego de pequeno porte. Abriga-se em pontos altos das edificações, geralmente em vãos e forros. Alimentam-se de insetos.

2.2) Tadarida brasiliensis

É outra espécie de morcego que possui pequeno porte (21 cm de envergadura). Possui dobras no lábio superior. Abrigam-se em locais mais altos. Alimentam-se de insetos.

3) Família Vespertilionidae

Os membros da família Vespertilionidae habitam centros urbanos, nutrem-se de insetos e possuem 28 espécies catalogadas. A cauda destes morcegos fica inteiramente contida na membrana entre as pernas. Abrigam-se nos forros das residências e podem formar colônias de até 50 indivíduos.

Ciclo de vida dos morcegos

No acasalamento, a fêmea tem seu óvulo fertilizado. A gestação do mamífero demora até 7 semanas, nascendo apenas 1 filhote.

Os filhotes dos morcegos são pequenos, nascem cegos e não possuem pelos. Desenvolvem-se em condições favoráveis, preferindo locais quentes.

As fêmeas nutrem as crias com leite até eles conseguirem voar. Essa fase pode durar até 6 semanas.
A média de vida dos morcegos é de 16 anos.

Infestação e perigo dos morcegos

Os morcegos infestam locais escuros e úmidos em busca de abrigo e alimento. É essencial manter-se afastado desses mamíferos, pois eles transmitem doenças como raiva, que pode ser fatal ao ser humano. Os principais transmissores são os morcegos hematófagos, ou seja, aqueles que se alimentam de sangue.

Nem todos os morcegos estão contaminados com o vírus da raiva. Alguns sinais podem identificar esse problema. Por exemplo, os morcegos possuem hábitos noturnos. Se você identificar uma espécie voando de dia, pode ser que ela esteja infectada.

A raiva é uma doença infecciosa que ataca os nervos periféricos, o sistema nervoso central e as glândulas salivares. Doenças de animais que são transmitidas para seres humanos são chamadas de zoonoses.

A transmissão da doença se dá por mordida, lambida em feridas abertas, mucosas ou arranhões. Os sintomas são: febre, dor de cabeça, salivação excessiva, espasmos musculares, confusão mental e paralisia.

Os morcegos são mamíferos que estão protegidos pela Lei de Proteção à Fauna, do IBAMA, por isso seu extermínio é proibido. É necessário que uma empresa especializada, mais precisamente uma controladora de pragas, seja chamada para resolver o problema.

Como prevenir infestação de morcegos

– Instalação de barreiras físicas para evitar a sua entrada;
– Realização de um manejo integrado de pragas eficiente, identificando espécie, seus hábitos e características do ambiente;
– Aumento da luminosidade do ambiente;
– Utilização de repelente eletrônico.

ALÉM DO SÃO PAULO, VOCÊ ENCONTRA NOSSA QUALIDADE EM TODOS ESSES ESTADOS.

Ou envie-nos uma mensagem pelo formulário abaixo:

CLOSE
CLOSE

Pin It on Pinterest